App Necton Investimentos App Necton Investimentos
Mostrar menu
Como funciona o mercado de ações? Entenda!

14 de julho de 2021

Ao considerar as alternativas para investidor, é preciso entender quais são as regras aplicadas. Por exemplo, você sabe como funciona o mercado de ações? Parte da renda variável, ele traz oportunidades que podem ser interessantes para diversos investidores.

No entanto, antes de investir é necessário compreender os detalhes de seu funcionamento, vantagens e riscos, certo? Afinal, somente assim será possível fazer escolhas alinhadas para a sua carteira, considerando o perfil e os objetivos financeiros. 

Que tal aprender mais sobre o assunto? Continue a leitura deste artigo da Necton e descubra como funciona o mercado de ações!

O que são ações?

Antes de entender o que é o mercado de ações, é necessário saber o que são esses ativos. Na prática, elas representam uma parcela do capital social de uma companhia do tipo Sociedade Anônima (S.A). 

Assim, quem detém os papéis tem participação na empresa e pode se beneficiar dos resultados obtidos. Além disso, vale saber que as ações podem ser de dois tipos: ordinárias (ON) ou preferenciais (PN). 

No primeiro caso, o investidor tem direito ao voto em assembleias. Logo, pode influenciar nas decisões da empresa — mas de modo proporcional ao número de ativos que possui. No segundo caso, não há direito ao voto. 

Entretanto, nas ações PN o investidor garante o direito de preferência na distribuição de proventos da companhia ou reembolso de capital. Entendeu a diferença entre elas? Algumas empresas oferecem os dois tipos no mercado e outras têm apenas ações ON.

O que é o mercado de ações?

Agora você pode entender o que é o mercado de ações. Ele trata do ambiente onde são negociados os ativos das companhias de capital aberto. Em geral, as operações de compra e venda acontecem na bolsa de valores, mas existem casos em que isso é feito no mercado de balcão.

Para tanto, as empresas precisam passar por um procedimento de formalização, seguindo diversos requisitos. O processo segue normas da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e requisitos da bolsa de valores brasileira, a B3. 

Isso é feito a partir do IPO (initial public offering) ou oferta pública inicial de ações. É nesse momento que acontece a primeira negociação de ativos entre a empresa e os investidores, por intermédio da bolsa de valores.

Depois, os investidores podem negociar as ações entre si por meio do mercado secundário, igualmente na bolsa. Com o tempo, podem acontecer processos como o follow-on — quando há novas emissões de ações pela empresa ou quando sócios majoritários vendem seus ativos.

Como funciona o mercado de ações?

Após saber o que é o mercado de ações e como ele é formado, ficará mais fácil entender o seu funcionamento. Nesse sentido, vale a pena entender algumas características específicas que influenciam o mercado acionário. Veja só:

Oscilações de preço

Um dos pontos fundamentais que devem ser considerados pelo investidor é que as ações se expõem às oscilações do mercado. O preço varia conforme oferta e demanda, características da empresa, volume de negociações, fatores macroeconômicos, entre outros.

Diante disso, não é possível ter certeza qual será o retorno obtido ao investidor ou mesmo se haverá ganhos. Isso porque também é possível que aconteçam quedas nos preços, o que pode gerar perdas no momento da venda dos ativos.

Estratégias de investimento

Há diferentes estratégias que podem ser utilizadas na bolsa, conforme o objetivo. Por exemplo, investidores podem adquirir ações com foco em sua valorização no longo prazo e o recebimento de proventos, como os dividendos. 

É comum que esses investimentos sejam feitos considerando os fundamentos da empresa, por meio da análise fundamentalista. 

No entanto, também é possível atuar com foco em especulação, que traz maiores riscos. Aqui, o foco é obter lucro em curto prazo por meio das operações na bolsa. Assim, a estratégia visa avaliar preços e volumes de avaliações, normalmente com uso da análise técnica.

Quais são as vantagens e riscos existentes?

Além de saber como funciona o mercado de ações, é preciso entender quais são as suas vantagens e riscos. Em relação aos benefícios, vale destacar o potencial de rentabilidade. Como não há limitações, como acontece na renda fixa, ele pode trazer retornos maiores. 

Ademais, há uma grande variedade de ativos negociados na bolsa, permitindo a diversificação da carteira com diferentes tipos de empresas e setores. 

Outro ponto importante trata dos ganhos, que podem acontecer de duas formas principais. São elas: pela venda dos ativos com valorização ou pela da distribuição de proventos. Na especulação, também é possível montar operações que buscam lucro com a queda dos preços.

Porém, é necessário ter atenção aos riscos. Existem aqueles inerentes à própria empresa, que se relaciona com questões como gestão do negócio, capacidade financeira, entre outros. Há também o risco de mercado, que trata das variações no comportamento das ações.

Como você viu, elas passam por oscilações e podem sofrer desvalorização. Há, ainda, os riscos de liquidez, pois nem sempre as ações têm grande procura — o que pode dificultar a sua venda. Mas vale saber que os riscos podem ser manejados por meio da diversificação e da análise dos ativos. 

Em relação ao Imposto de Renda (IR), os dividendos são isentos e há uma faixa de isenção na venda com lucro — quando o volume de vendas no mês não ultrapassa R$ 20 mil. Do contrário, há taxa de 15% em operações comuns. A alíquota é maior no day trade (20%) — e a isenção não se aplica a ele.

Como ter acesso ao mercado de ações?

Se você se interessou pelas alternativas do mercado de ações do Brasil e deseja investir na bolsa de valores, é preciso saber como fazer isso. O primeiro passo é ter uma conta em uma corretora de valores.

Por meio dela, você terá acesso ao home broker — o ambiente da B3 para as negociações. Depois, você deve pesquisar o ticker dos ativos desejados. Trata-se de um código alfanumérico que identifica a companhia e o tipo de ação. 

Em seguida, confira as informações e emita a ordem de compra. Após o prazo de liquidação, os ativos passarão a compor a sua carteira. Quando quiser se desfazer das ações, é possível emitir ordens de venda. 

Agora que você sabe como funciona o mercado de ações, vale considerar essa alternativa ao compor o seu portfólio. Porém, não se esqueça de avaliar o seu perfil de tolerância aos riscos e os objetivos, além de analisar os ativos. Assim, poderá tomar decisões mais seguras antes de investir.

Gostou do conteúdo? Então o compartilhe em suas redes sociais para que mais pessoas tenham acesso a essas informações!